­­Horas em Durban

­­Dezembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

­­Etiquetas

­­ todas as tags

Conferência de Cancun - 2010
Conferência de Copenhaga - 2009
Conferência de Poznan - 2008
Conferência de Bali - 2007
Conferência de Nairobi - 2006
logo da Quercus
Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

Finalmente Durban (e novidades de ontem e hoje)

Por entre uma passagem por Joanesburgo com chuva e uma aterragem um pouco atribulada para o moderno Airbus 380, após 18 horas de voo e passagens por aeroportos, a Quercus já está em Durban.

 

 

Ontem aconteceu o primeiro "Indaba" – termo que vem da linguagem Zulu e que significa “negociação” ou “matéria”. Trata-se de uma importante conferência efectuada pelos izinDuna (os homens mais sábios) dos povos Zulu e Xhosa na  África do Sul. Na prática, trata-se de uma discussão aberta, comum a todas as COPs e em que participam em iguais circunstâncias os países e as organizações acreditadas, numa tentativa de construir posições comuns e ultrapassar as dificuldades. Porém, em vez de um diálogo frutuoso, cada uma das partes limitou-se a dizer aquilo que é a sua posição e a reafirmá-la sem cedências. Os comentários que percorrem os corredores, dizem que as decisões em linha aqui na Conferência de Durban ao ritmo lento a que segue o debate, não apontam para quase nenhum progresso no final.

Num artigo publicado hoje pela revista Nature, biólogos da Universidade do Alasca e da Universidade da Flórida afirmam que se houver um aquecimento de 7,5 graus Celsius no Ártico neste século, tal deverá libertar o equivalente a 380 mil milhões de toneladas de dióxido de carbono dos solos de permafrost. Mesmo um aquecimento de apenas 2 graus libertará um terço. Mera coincidência, mas hoje discursou aqui em Durban o coordenador do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, Rajendra Pachauri.

Talvez para animar as hostes, só mesmo uma sessão de poesia como a que a Greenpeace África vai promover amanhã às 19.30h na sua tenda na praia norte de Durban. Num concurso em que pediram aos jovens para escrever poemas acerca da floresta do Congo, tiveram 1900 concorrentes e amanhã é a altura da entrega de prémios aos três melhores.

por Quercus às 19:18
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

­­Subscrever

[conta Twitter reutilizada para as COP seguintes]
COP17

­­Links

­­Pesquisar

 

­­Arquivos

­­ Dezembro 2011

­­ Novembro 2011

­­ Outubro 2011

­­ Setembro 2011

blogs SAPO